Gundam – Guia Completo

Header

VOE, GUNDAM!

Gundam possivelmente é uma das maiores franquias da animação japonesa. Desde 1979, temos conteúdo novo vindo da franquia aos montes e sempre atraindo a atenção de muitos, mas tem tanta, TANTA coisa nesse metauniverso gigantesco que pode confundir ou assustar os que se interessam. Não é nada incomum que isso aconteça e muitos acabem nem sequer tirando uma casquinha dessa ótima franquia por não receberem a orientação adequada.

Pois bem, aqui estou para ajudar o pessoal nessa. Esse texto será majoritariamente um guia organizando todo o conteúdo de Gundam e explicando do que se trata e como as coisas funcionam, com uma breve opinião minha sobre cada série/filme/OVA e por aí vai…

Gundam

Antes de prosseguirmos, vou soltar um breve FAQ rápido aqui sobre o assunto:

1- Preciso ver tudo de Gundam pra entrar nessa brincadeira de fandom de anime de robozão em guerra?

Lógico que não, meus queridos. Nem todo mundo tem tempo e disposição pra tanto conteúdo assim. Veja tudo se quiser, mas o ESSENCIAL da série nem é tanta coisa assim. Vou explicar melhor o que cada grupo de séries é e você escolhe o que assistir a partir disso.

 2- Ok então, por onde eu começo?

Há duas opções: ver o Gundam original (tanto faz se for a série de TV de 43 episódios ou os 3 filmes… sendo que, na minha opinião, a segunda opção é mais prática, apesar de perder um pouco de conteúdo), que é a opção mais recomendada ou… a outra opção que eu particularmente não gosto muito, mas muita gente entra na franquia por ela que é começar a ver por alguns dos universos alternativos só pra ter um gostinho. Vou explicar isso em detalhes mais à frente

 3- “Putz, mas não tá datado não? O primeiro anime é de 1979, cara…

Olha, o pessoal adora dizer na internet pra quem tá começando que tá datado e faz parecer que tá horrível pros padrões de hoje. Logicamente a animação é bem diferente de coisa atual, mas dá pra assistir numa boa, é só questão de ajustar um pouco o mindset pra um ritmo mais lento do que dos animes atuais.

 4- Vi que algumas das séries têm filmes-resumo. Posso assistí-los ao invés das séries?

Com exceção da trilogia de filmes do primeiro Gundam, nem pense nisso. Se for assistir, assista as séries primeiro, pois as histórias possuem conteúdo demais pra ser condensadas em filmes (apesar de que, de alguma maneira sobrenatural, conseguiram fazer 3 filmes que conseguem substituir a série de TV pro primeiro Gundam… pena que isso não rolou com o resto).

 5- Faltou SD Gundam, Gundam Evolve e G-saviour nesse guia não?

SD Gundam nada mais é do que uma série de paródias de comédia com o lore da série e coisa do tipo, não tem nada de muuuito interessante ali, mas se quiser, assista depois. Eu particularmente não assisti, mas parece divertidinho pra passar o tempo descompromissadamente. Evolve é uma série de curtas animados em CG que são quase todos como assistir uma AMV rapidinha, não faz mal assistí-los (até porque não se gasta nem 2 horas vendo todos os curtas de Evolve), mas não são nenhum tipo de item indispensável. Já G-saviour é um filme Live-action de Gundam feito no ocidente no final dos aos 90 e… não, você não vai querer ver isso, é sério. É horrível.

Vale citar também que, com a fama, a franquia ganhou algumas homenagens em mangás que retratam coisas sobre o universo Gundam e seus fãs. São eles “Gundam Sousei”, de Hideki Owada (basicamente uma história satírica levemente baseada em fatos reais sobre o diretor Yoshiyuki Tomino e o seu dia-a-dia durante a produção das séries em que esteve envolvido); “Gunota no Onna”, de Sabishi Uroaki (uma história sobre uma fã de Gundam vivendo seu dia-a-dia e tentando lidar com o seu relacionamento com um cara que odeia Gundam) e Gundam-san, que é uma colaboração entre alguns artistas (que é uma série de tirinhas que parodiam a série original, mais ou menos da forma como SD Gundam faz, e por sinal, ganhou uma versão animada também).

 6- O que é esse ’Gundam – the Origin’ que tá rolando aí?

Ok, deixa o tio aqui explicar. The Origin nada mais é do que um retelling do primeiro Gundam na forma de mangá, escrito e desenhado por um dos braços direitos de Yoshiyuki Tomino, Yasuhiko Yoshikazu, que era character design do anime original. É uma adaptação extremamente fiel e que, em alguns pontos, até melhora o original e contém um trecho inédito deste, contando histórias que antecederam os eventos de 0079 e adicionam uma nova profundidade à história. Esse conteúdo inédito está sendo animado atualmente na forma de OVAs numa minissérie prevista pra ter 4 episódios com uma hora de duração cada um. Até o presente momento, somente os dois primeiros episódios de The Origin foram lançados, com o terceiro previsto pra mais ou menos Março ou Abril de 2016.

7- “Vi também que tem um tal de “Iron-Blooded Orphans”, que começou em outubro de 2015. O que é isso?

Iron-Blooded Orphans (ou “Tekketsu no Orphans” também, em japonês), é a mais nova série da franquia na Televisão. Trata-se de um universo alternativo na inédita timeline “Post Disaster”, e pode ser assistido sem nenhum tipo de conhecimento prévio da franquia, assim como todos os outros universos alternativos. Quando a série terminar, atualizarei o guia (assim como pretendo fazer a cada série nova que estrear) e escrevo brevemente minha opinião sobre ela

“Passado o FAQ rápido, agora vamos começar o que interessa. Gundam é dividido de duas grandes formas: a linha “Universal Century”, que é o universo principal da franquia, onde acontecem as histórias mais importantes e os universos alternativos, que são completamente independentes uns dos outros (salvo as sequências desses). Os universos alternativos podem ser consumidos sem conhecimento prévio da franquia. Agora, vou explicar do que cada universo se trata.

UNIVERSAL CENTURY

Como mencionado no parágrafo anterior, essa é a linha do tempo mais importante da franquia. Foi aqui onde tudo começou e muitas coisas aconteceram, só que o Universal Century é tão extenso que costumo dividí-lo em algumas sub-seções, e são elas:

Universal Century: Saga principal

UniversalCentury_

Conteúdo (em ordem cronológica):

  • Gundam (1979, série de 43 episódios ou 3 filmes)
  • Zeta Gundam (1985, série de 50 episódios)
  • ZZ Gundam (1986, série de 47 episódios)
  • Char’s Counterattack (1988, filme)
  • Gundam Unicorn (2010, OVA de 7 episódios de 1 hora de duração)

Quer conhecer apenas a história mais importante de Gundam? Não tem saco pra ver trocentos animes de robozão só pra preencher a lista do Myanimelist e ostentar? Então, essa aqui é a parte mais importante do guia inteiro. Apelidada por alguns fãs de “Early Universal Century”, aqui é onde rolam as maiores guerras de toda a história e somos apresentados aos personagens mais icônicos da franquia inteira e vemos seu desenvolvimento e suas histórias se entrelaçando em meio ao conflito.

O primeiro Gundam (também apelidado de “0079”, que é o ano do calendário do Universal Century onde se passa a história) é simplesmente uma obra poderosíssima em narrativa até hoje. Não é perfeito, logicamente, mas é uma história bastante memorável.

Sua sequência, Zeta Gundam também é boa. Muitos o consideram uma das melhores séries da franquia, mas eu particularmente acho um pouco prolixa demais e cansativa às vezes, apesar de possuir momentos excelentes, mesmo que o elenco de personagens não agrade tanto quanto o do predecessor. No geral, não é uma série lá muito fácil de digerir e pode ser bem maçante, mas é necessária.

ZZ Gundam é um ponto curioso. Alguns podem insistir em dizer que ele é desnecessário, mas o considero muito importante para compreender melhor os eventos que virão depois dele. Muitos dizem que dá pra simplesmente ler um resuminho do que acontece e ir direto pro Char’s Counterattack, mas eu discordo. ZZ Gundam tem um começo não lá muito interessante, mas a série melhora absurdamente depois de uns 10 ou 12 episódios, além de ser bem divertida e ter um elenco bem mais agradável que o de Zeta Gundam, na minha opinião (eu particularmente gosto mais de ZZ do que de Zeta, mas isso é meio que uma opinião impopular dentro do fandom).

Daí chegamos em Char’s Counterattack, filme de 2 horas de duração que, até o lançamento de Gundam Unicorn em 2010, era a conclusão da saga dos conflitos do Universal Century. É um filme que divide muitas opiniões entre o público: uns gostam, e outros detestam. Eu gosto, mas tenho minhas ressalvas, e apesar de achar um bom filme, acho a narrativa muito bagunçada por tentar botar conteúdo demais pra tão pouco tempo e o filme perder tempo demais com coisas sem muita importância pro enredo. Poderia ter sido um filme excelente, mas ainda o acho bem satisfatório e é um ponto importantíssimo da história, pois ele traz a resolução da rivalidade entre Amuro Ray, o protagonista da primeira série, e seu eterno rival, o galante Char Aznable.

E pra encerrar a saga principal de Gundam, temos Gundam Unicorn. Com uma produção de altíssima qualidade, ela traz a conclusão definitiva pra esse arco principal. Ela é como uma grande homenagem a tudo que aconteceu até aqui, mas tendo seu próprio brilho e encerra com chave de ouro uma história que ficou em conhecimento popular por mais de 30 anos.

Universal Century: Histórias complementares

UCSide

Conteúdo:

  • Gundam 0080: War in the Pocket (1989, OVA de 6 episódios)
  • Gundam 0083: Stardust Memory (1991, OVA de 13 episódios)
  • Gundam: The 08th MS Team (1996, OVA de 12 episódios)

 Aqui temos algumas histórias paralelas aos eventos da série original. Essas 3 séries foram produzidas para o mercado de home video e possuem orçamento maior então, a qualidade técnica de animação e essas coisas, num geral, é melhor do que as dos anteriores que eram séries de TV. Em termos de história, não adicionam tanto ao lore da franquia (com exceção de Stardust Memory), mas são obras bem aproveitáveis.

“War in the Pocket” se passa um ano após os eventos da série original e traz uma visão bem diferente do cenário geral de guerra que a franquia costuma apresentar. Na minha opinião, é facilmente uma das melhores séries da franquia inteira. 6 episódios que totalizam umas 2 horas e meia, dá pra ver numa sentada só como se fosse um filme.

“Stardust Memory” se passa 2 anos antes de Zeta Gundam e traz umas informações bem interessantes sobre um plot point que deu origem ao que acontece em Zeta. Particularmente, começa muito bem e cheio de potencial, mas da metade pro final a narrativa vira uma clusterfuck imensa deixando um gosto bem amargo na boca (rezam as lendas que isso se deve a problemas causados por brigas entre a equipe de produção). Elenco mediano e cenas de ação legais e trilha sonora ótima. Morno, num geral.

 “08th MS Team” se passa ao mesmo tempo que os eventos da primeira série e traz um outro ponto de vista sobre a mesma guerra, só que aos olhos de soldados de infantaria da Terra. Elenco extremamente carismático de personagens, excelentes cenas de ação e história interessante sobre relações humanas, apesar da mesma pender a alguns clichês um tanto quanto bobos, mas daqueles que a gente acaba não ligando e gosta. Um dos favoritos de muitos fãs de Gundam.

 Universal Century: Cosmo Babylonia

UCF91

 Conteúdo:

  • Gundam F91 (1991, Filme)
  • Crossbone Gundam (1994, mangá de 6 volumes)

 Um tempo após o lançamento de Char’s Counterattack em 1988, Tomino quis dar uma espécie de reboot em Gundam (mas ainda se passando na mesma linha do tempo, algumas décadas depois dos eventos da saga original), e resolveu fazer o projeto “Gundam F91”, que originalmente era pra ser uma nova série de TV, mas a Sunrise (ou a Bandai mesmo, não sei ao certo. Sintam-se livres pra me corrigir) não permitiu isso e o resultado foi um filme de cerca de 2 horas de duração extremamente corrido e mal-escrito, apesar de visualmente belo. F91 praticamente não requer conhecimento prévio da franquia pra aproveitamento e pode ser usado como um pequeno showcase.

 Mas uma coisa legal veio dessa história toda, a sequência de F91, Crossbone Gundam, um mangá de autoria de Yuichi Hasegawa, que traz de volta os personagens do seu antecessor e lhes dá o desenvolvimento que faltou no filme, além de introduzir conceitos interessantes ao universo da série. Num geral, é um mangá divertido, apesar de não ser nada grandioso, mas vale a pena dar uma conferida.

 Crossbone possui duas sequências também em mangá, mas não fazem falta (e uma delas não tem nenhum tipo de tradução na internet pro inglês ou qualquer outro idioma). Além disso, vale lembrar que Crossbone também é uma das únicas partes relativamente importantes da franquia que não está em formato de animação. Será que um dia fazem um anime de Crossbone? Os fãs pedem, mas só o tempo nos dirá.

 Universal Century: Victory Gundam

vgundamost2

 Conteúdo:

  • Victory Gundam (1993, série de 51 episódios)

 Assim como o F91, Victory surgiu numa nova tentativa de ser um reboot da franquia, e também se passando na mesma linha do tempo. Dessa vez Tomino fez uma série de TV de 51 episódios (é a mais longa da franquia), que, traz de volta alguns dos conceitos do Gundam original, e algumas novidades interessantes. Curiosamente, Victory é lembrado também como uma das séries mais violentas e tristes de Gundam, e traz uma história bastante recheada de drama e melancolia num clima bem intenso de “luta pela sobrevivência” durante maior parte da série.

 Victory divide muitas opiniões entre o público, mas particularmente, é um dos meus favoritos. E também possui uma excelente trilha sonora, composta por Akira Senjuu (mesmo compositor da trilha sonora de Fullmetal Alchemist Brotherhood), que é uma das melhores da franquia.

Universal Century: MS IGLOO

UCIgloo

 Conteúdo:

  • The Hidden One Year War (2004, OVA de 3 episódios)
  • Apocalypse 0079 (2006, OVA de 3 episódios)
  • Gravity of the Battlefront (2008, OVA de 3 episódios)

 MS Igloo é um caso engraçado. São 3 minisséries de OVAs inteiramente feitos em 3DCG, fato este que pode fazer alguns torcerem o nariz antes de assistir, mas ao contrário da expectativa geral, o resultado final é satisfatório.

 MS Igloo traz histórias que se passam antes da Guerra de Um Ano do primeiro Gundam e paralelamente a alguns eventos da mesma, só que do ponto de vista dos soldados de infantaria dos batalhões menores, semelhante ao que “08th MS Team” faz, só que sem o carisma deste. Não é nada sensacional ou obrigatório, mas é aproveitável.

Universal Century: Calendário futuro

TurnA

 Conteúdo (em ordem de produção):

  • Turn A Gundam (1999, série de 50 episódios)
  • G no Reconguista (2014, série de 26 episódios)

 Alguns anos após a conclusão de Victory Gundam, Tomino trabalhou em alguns outros projetos (entre eles o infame “Brain Powered”, que foi a sua resposta frustrada ao sucesso de Evangelion, que tava bombando no meio dos anos 90), até que em 1999 ele traz para o mundo aquele que é um de seus melhores trabalhos: Turn A Gundam.

 Alguns dizem que Turn A Gundam se passa num universo alternativo, mas na verdade ele se passa na linha do Universal Century, só que alguns milhares de anos depois da mudança de calendário, ou seja, agora não se chama mais “universal Century”, mas é na mesma linha do tempo.

 Turn A é talvez um dos pontos mais fora da curva de toda a franquia. Eu costumo dizer que é como se o Ghibli tivesse ido fazer um Gundam que se passa numa espécie de universo pós-apocalíptico com uma pegada steampunk. Ele não é violento ou cheio de ação como normalmente se espera de algo da franquia. A narrativa é mais lenta que o habitual, mas trabalha uma construção de mundo fantástica, além de um ótimo desenvolvimento de personagens e, esteticamente, é uma das coisas mais bonitas já feitas em Gundam.

(também é válido dizer que Turn A possui uma trilha sonora digna de nota. Composta por Yoko Kanno, conhecida por compor as trilhas de alguns animes dirigidos por Shinichiro Watanabe, entre eles Cowboy Bebop, é repleta de algumas das mais belas músicas da franquia)

 Dá pra assistir sem muita bagagem prévia da série, mas é bem melhor aproveitado se tiver tido contato prévio com pelo menos a saga principal ou algum tipo de exposição aos universos paralelos (que já já vou explicar melhor). É uma história e tanto. (vale lembrar que Turn A teve dois filmes de compilação, mas…. como já dito lá no FAQ, não vale a pena ver.)

 Nessa mesma linha de eventos pós-mudança de calendário, temos também “G no Reconguista”, que se passa alguns vários anos antes de Turn A, e, eu já falei melhor dele num outro post aqui no blog sobre a minha opinião a respeito. 

 E passado o Universal Century, agora chegou a hora de falar dos…

UNIVERSOS ALTERNATIVOS

Frequentemente usados como uma outra porta de entrada do público para a franquia, os universos alternativos são completamente independentes uns dos outros e do Universal Century. Pense mais ou menos em reboots com ideias diferentes ou coisa do tipo. Há alguns bem diferentes do habitual e outros que lembram muito o que foi visto no Universal Century. Vou falar de cada um deles na ordem de produção, começando por… 

Future Century 

FutureCentury

Conteúdo:

  • G Gundam (1994, série de 49 episódios)

 G Gundam foi o primeiro dos universos alternativos a ser produzido e, é de longe, o ponto mais fora da curva da franquia inteira. Agora, o que é G Gundam? Vou responder com apenas uma frase: 

ARTES MARCIAIS COM ROBÔS GIGANTES!!

 “Pera, como é que é???”. Sim, meus caros, é exatamente isso que você leu na linha anterior, sem tirar nem pôr. Pense numa mistura maluca de Dragon Ball, Super Sentais, Torneios de Artes Marciais, Street Fighter e Gundam (sendo que, curiosamente, este último elemento é o menos importante da mistura toda) feita de uma forma onde tudo se encaixa.

 E qual é o resultado dessa maluquice toda? Temos um anime de luta extremamente sólido e memorável com uma vibe extremamente hot-blooded típica dos anos 90, regado a muita galhofa em alguns momentos e extremamente divertido de assistir. É uma série que leva o nome Gundam, mas não tem medo de sair da linha criada por este nome e faz o que quer fazer. É um dos meus favoritos.

 Trivia: o Character design de G Gundam é de ninguém menos que Kazuhiko Shimamoto, um mangaká que é o cara responsável por coisas como “Blazing Transfer Student” e “Aoi Honoo”. Isso provavelmente explica a vibe hot-blooded da série e acho que não poderiam ter chamado ninguém melhor pra ajudar nisso. Boa, Sunrise.

After Colony 

AfterColony

Conteúdo:

  • Gundam Wing (1995, série de 49 episódios)
  • Gundam Wing – Endless Waltz (1998, Filme)

 Foi a porta de entrada pra muitos à franquia aqui no ocidente (no Brasil inclusive, já que foi a única série da franquia a passar por aqui) e tem sua legião de fãs e deixou nostalgia em alguns desses, porém…

 Gundam Wing é uma baita duma bomba. Pra mim é a pior coisa da franquia e praticamente nada em Wing se salva (com exceção da trilha sonora, composta por Kou Otani, o cara por trás das músicas do jogo Shadow of the Colossus, que é de cair o queixo). Conceitualmente, poderia ter sido algo bem interessante, mas a execução da maioria das ideias que a série carrega é péssima, e nem a história ou o elenco são minimamente interessantes (salvo pouquíssimos personagens), além de a série sofrer de uma escrita terrível que se contradiz a cada cinco segundos e um ritmo terrível que tornou Wing algo desnecessariamente longo e prolixo. Recomendo assistir fazendo um drinking game de tomar uma dose de bebida a cada momento que algum personagem mudar de ideia repentinamente cinco segundos depois de ter dito algo completamente oposto, ou querer resolver tudo com suicídio/auto-destruição. É como se fosse Gundam seguindo fórmulas de Cavaleiros do Zodíaco com uma injeção de Linkin Park. Até tem alguns poucos momentos bons ali, mas num geral, acho um desastre.

 Daí, como se já não tivesse sido o suficiente, tivemos uma sequência, que foi “Endless Waltz”, que traz uma conclusão definitiva pra história (tá, eu sei que tem umas Light Novels aí que contam algumas histórias a mais do universo After Colony, mas ninguém liga pra essa merda. Fora que nem tem tradução pra algum idioma que não seja o Japonês). Endless Waltz parece uma fanfic animada com duração de 90 minutos, é sério (apesar de eu achar melhorzinho que a série). Vale lembrar também que EW foi lançado em dois formatos: originalmente numa minissérie de OVAs em 3 episódios de 30 minutos cada, e depois numa “edição especial” que é um filme, com o mesmo conteúdo desses 3 OVAs e algumas cenas novas para amarrar os episódios entre si.

 Ainda tem alguns que gostam, mas a minha sugestão é: veja por sua conta em risco.

After War
GundamX

Conteúdo:

  • Gundam X (1996, série de 39 episódios)

 Esse é o meu universo alternativo favorito. É Gundam num mundo pós-apocalíptico. Ele traz algumas semelhanças grandes com coisas que vemos no Universal Century (tanto que alguns discutem se ele pode fazer parte do UC de alguma forma, mas não faz), mas traz um cheirinho único consigo. Temos uma história muito boa e cativante aqui, com um elenco de personagens que possui um dos melhores desenvolvimentos narrativos de toda a franquia. Não há muito o que comentar sem risco de estragar a experiência, mas podem confiar porque a jornada vale muito a pena. Acho legal que ele também possui um dos pouquíssimos subplots românticos bem-escritos de Gundam, que é algo que a franquia nunca fez de maneira muito elaborada, apesar de já ter tentado diversas vezes. Na minha opinião, quase tudo nele é maravilhoso.

 Gundam X infelizmente é uma das séries menos populares da franquia, e isso se deve ao fato de muitos ficarem com o pé atrás pelo fato de ouvirem que ele foi cancelado prematuramente, assim como o Gundam original em sua primeira exibição (e igual a este, teve tempo de encerrar a história). Originalmente, X teria em torno de 50 episódios, como a maioria das séries, mas acabou tendo 39 no total, e apesar disso, conseguiu encerrar a sua história muito bem. Ouso dizer até que isso fez bem à série pois ela acabou no ponto certo. Se tivesse sido mais longa, poderia ter perdido um pouco a linha. Confiem, o bagulho é bom.

 Cosmic Era
CosmicEra

Conteúdo:

  • Gundam Seed (2002, série de 50 episódios)
  • Gundam Seed Destiny (2004, série de 50 episódios)
  • Gundam Seed C.E 73: Stargazer (2006, OVA 3 episódios de 15 minutos cada)
  • Gundam Seed MSV Astray (2004, curta animado de 10 minutos)

 Ah, Gundam Seed… o que falar de ti? Sendo um dos universos mais famosos, Seed tem uma certa legião de fãs por aí e a partir do primeiro Seed foi a primeira vez que a série passou a ter animação feita digitalmente. Mas Seed e Seed Destiny são tão feios quanto encoxar mãe no tanque visualmente (eu pelo menos acho horrendo algumas muitas coisas ali, principalmente no que se diz ao character design), mas esse não é o problema aqui.

 O primeiro Seed divide opiniões dentro do fandom. Ele começa lembrando muito algo que parece ser uma versão trash do Gundam original, cheio de cenas com roteiro meio pamonhão (ao ponto de gerar inúmeras cenas de comédia involuntárias) e personagens com escrita bizarra, mas aos poucos vai melhorando e, ao final, dá um gostinho satisfatório de “ei, até que isso não foi tão ruim quanto parece se parar pra pensar”. Seed parece bem ruim, mas na verdade é até bom, juro (mas isso não tira o fato de que tem muita coisa escrota na escrita dele e a maioria dos personagens são ridículos).

 Daí temos Seed Destiny, a sequência direta dele, e é aqui que o bicho pega e temos um que quase todo mundo concorda que é ruim. Eu não acho Destiny a pior série da franquia, mas é ele é um trem descarrilhado bizarro. Ele sofre dos mesmos problemas que seu antecessor, só que elevados a outro nível, e tem momentos que ele fica tão ruim que a parada faz a curva e a gente quer continuar vendo pra tentar decifrar como aquilo pode conseguir se descarrilhar ainda mais. A primeira metade é ruim de forma sofrível, mas a segunda é ruim de forma…. divertida? Sei lá, Seed Destiny tem lá seus momentos razoavelmente bons (que poderiam ter sido ótimos, mas são completamente arruinados pela escrita horrenda do roteiro e da direção nojenta), mas num geral é, no máximo, medíocre. Em resumo: é a melhor pior novela das 9 que existe.

 E depois dele, temos Stargazer, que é uma história que se passa paralelamente aos eventos de Seed Destiny e… é bom. Surpreendentemente bom. Nada memorável, mas é bem interessante ver o que foi feito com tão poucos recursos técnicos em apenas 50 minutos de animação. É um descanso bacana pra quem acabou de sobreviver ao Seed Destiny. E de bônus tem Seed MSV Astray, que são dois curtas de 5 minutos cada um mostrando dois Mobile Suits do universo Seed em ação e isso funciona quase como que um comercial de model kit. Totalmente esquecível, mas os model kits que ele promove são legais, então acho que ele cumpre a missão dele decentemente.

Anno Domini
gundam_00_wallpaper_3-800x600

Conteúdo:

  • Gundam 00: season 1 (2007, série de 25 episódios)
  • Gundam 00: season 2 (2008, série de 25 episódios)
  • Gundam 00: A Wakening of the Trailblazer (2010, filme de 2 horas)

 00 é um caso engraçado. Muita gente gosta dele, mas eu particularmente tenho uma relação de admiração e ódio com ele. Por muitos momentos a história parece não saber pra onde vai e demora muito até começar a ficar consideravelmente interessante. Durante boa parte da primeira temporada ele é quase uma batalha contra o sono pra assistir, mas próximo ao final dessa primeira metade ele vai ficando interessante.

 A segunda temporada muitos dizem ser abaixo da primeira e, de fato, ela é. Ela é bem problemática no que se diz a respeito de escrita e a história chega a ter uns buracos esquisitos que são preenchidos pelas desculpas mais esfarrapadas possíveis (quem assistiu talvez deva saber bem do que estou falando), só que, estranhamente, ela é mais divertida de assistir que a primeira temporada, e mesmo com seus problemas, é ela que segura a gente até o final da história e se não fosse por ela, eu provavelmente teria detestado Gundam 00. Acho que posso dizer que a segunda temporada de Gundam 00 seja o meu famigerado “guilty pleasure” dentro da franquia. Admito que aquilo não é objetivamente bom, mas eu acho divertido.

 E passado isso, temos o filme “A Wakening of the Trailblazer”, que, esse sim eu digo que é uma bosta. De uma maneira semelhante à que Endless Waltz serve pra Gundam Wing, A Wakening of the Trailblazer traz um epílogo pra história de Gundam 00, e da mesma maneira que EW, ele parece uma fanfic animada, só que com 2 horas de duração e AINDA MAIS mal-escrita. E eu já falei que tem aliens nesse filme? Pois bem, prepare para a decepção.

Advanced Generation
AGE

Conteúdo:

  • Gundam AGE (2011, série de 49 episódios)

 ALERTA DE OPINIÃO IMPOPULAR! Eu gosto de Gundam Age, e não é pouco. Gundam Age é um pobre coitado que muitos pela internet adoram pegar no pé de maneira exagerada. Age traz uma novidade interessante pra franquia, que é uma história sobre uma guerra que se passa através de gerações; uma parte é com um personagem, a outra é com o filho dele uns 20 anos depois e por aí vai (tipo Jojo’s Bizarre Adventure, olha aí) e sempre contra o mesmo exército de inimigos.

 Eu acho o conceito ótimo, mas claro, nem sempre ele funciona da maneira que deveria, e boa parte dos problemas de Age estão em manejamento de ideias cheias de potencial que não foram aproveitadas em sua plenitude. Talvez se a série tivesse tido mais episódios pra dar mais espaço para desenvolvimento de alguns conceitos e de personagens secundários que poderiam ter sido tão melhor aproveitados ou tivessem posto um diretor mais habilidoso no comando, poderia ter sido até o melhor dos universos alternativos.

 Mas mesmo com seus problemas, eu digo aqui que Age ainda é muito bom e é extremamente agradável e divertido. E não se espante com o character design mais “infantil” (que foi cortesia da Level 5 desenvolvedora de jogos conhecida pelo seu trabalho com Inazuma Eleven e Ni no Kuni, entre outros trabalhos), Age não deve em muito a outras séries no que se diz respeito a “maturidade” da obra. Recomendo com força.

Build Fighters (era contemporânea)
BuildFighters

Conteúdo: 

  • Gunpla Builders: Beginning in G (2010, curta de 50 minutos)
  • Gundam Build Fighters (2013, série de 25 episódios)
  • Gundam Build Fighters Try (2014, série de 25 episódios)

 “Diversão” é a palavra que melhor define Build Fighters. Aqui temos um outro ponto bem fora da curva padrão da franquia e ao invés das já tradicionais histórias de guerra da franquia, as séries deste grupo são focadas em… Gunpla! Isso mesmo, aqueles bonequinhos de plástico montáveis que vendem aos montes no Japão (e que sozinhos já garantem o sustento da Bandai, se bobear), mas… como um anime disso funcionaria? Só botar os bonequinhos pra lutar através de uma espécie de simulador que os faz se moverem dentro de uma arena, no melhor estilo Beyblade da coisa. Nota-se que as séries daqui tem um forte apelo com o público infantil, mas são bem cativantes e obras surpreendentemente bem-elaboradas ao contrário do que normalmente se esperaria de animes desse tipo, além de já serem um pratão cheio de fanservice pros já fãs veteranos da franquia, com referências e easter eggs ao universo Gundam em todos os cantos possíveis. agora, vamos aos itens dessa pequena lista.

 “Beggining in G” é basicamente um comercial de Gunpla com 50 minutos de duração, porém muito divertido e sem pretensão nenhuma. É uma boa introdução para o que veremos no prato principal daqui e não há muito o que falar a não ser isso.

 Depois disso temos Gundam Build Fighters, que é uma série extremamente sólida que carrega uma vibe hot-blooded à lá G Gundam pra luta de Gunplas, com direito a um torneio com lutar bem empolgantes e divertidas, além de um elenco cheio de ótimos personagens. E então, temos a sequência, Build Fighters Try, que ainda que não seja tão boa quanto a anterior, também é ótima, mesmo que apresente algumas inconsistências no ritmo narrativo e na execução de algumas novas ideias que não saem tão bem quanto poderiam, mas se mantém bem sólido até o fim do mesmo jeito. Um problema discutível que as duas séries compartilham é o roteiro, apesar de bem competente, ser bem recheado de clichês que tornam muitas coisas bem previsíveis na história, mas ei, não é um anime pra você ficar levando a sério. Sente e relaxe e veja como luta de Gunpla é divertido.

UniversalCentury

Conclusão 

Num geral, em meio à tantas séries, Gundam é uma franquia com bastante conteúdo bom pra todos os gostos. Não é preciso ver tudo pra tirar uma casquinha da essência disso tudo, obviamente, mas depois desse guia, caso você não tenha assistido nada de Gundam, pode ser que escolha algumas séries que sejam do seu agrado. Espero ter ajudado a compreender esse metauniverso enorme e divirta-se!

about

Nintakun sugere um passatempo muito saudável pra quando novatos forem assistir Gundam. Um drinking game pra cada vez que alguém em qualquer série tomar um tapa na cara ou qualquer outro tipo de agressão física direta.

Anúncios

64 comentários sobre “Gundam – Guia Completo

    • queria saber dos novos gundam onde entra o Gundam orphans e o thunderbolt gundam — pq tenho odio de gundam na parte que eles nao deixam claro a epoca em que aquilo se passa …. e nao so bom de ficar olhando datas…

      • Orphans é um universo alternativo. Tem seu próprio mundo, sua própria história e por aí vai…

        Já Thunderbolt se passa paralelamente aos eventos da Guerra de Um ano, que ocorre na série original, ou seja, a história acontece no ano de 0079 do Universal Century. E poxa, as datas sempre são ditas claramente, principalmente no começo das séries/filmes/OVAs, qualquer coisa sempre tem uma wikia pra consultar.

  1. Guia muito bom!!!

    Meu gosto pelo universo mecha começou com Voltron e depois Transformers quando lançaram o filme e depois o desenho na globo nos anos 80/90, ai veio Gurren Lagann, Evangelion, Sidonia, Rakuen Tsuihou: Expelled from Paradise, Aldnoah Zero, Escaflowne, Macross Plus, Zero, Frontier, Do You Remember Love?, Code Geass,Five Star Stories,Detanotar Orgun, Megazone 23 (sensacional), Appleseed, Roujin Z, etc.

    Já vi quase tudo de Gundam e essa reciclagem de alimentar essa guerra infinita baseada nos enredos alternativos e lineares é interessante. Assistir e gostar de tal franquia é de gosto pessoal, ainda mais julgá-lo. Gostei muito de Gundam 00, assim como Gundam 0083: Stardust Memory e Gundam: The 08th MS Team. O 08th para mim é o melhor, sem sombra de dúvida. Aquele final é realmente de encher os olhos. Acho que foi realmente o que os japas passaram na II Guerra Mundial que fizeram mudar o seu padrão de vida e social.

    Muitos falam mal de Gundam Wing, e isso me desanima muito. Tenho em casa o EW e que comecei a ver e achei legal.

    Tenho um grupo no face para discussão de animes mais centrado em mecha e cyberpunk. Se tiver interesse em participar… https://www.facebook.com/groups/animestvmanchete/

    Grupo sobre mechas (gringo): https://www.facebook.com/groups/117084925039344/

    MAL:http://myanimelist.net/animelist/ffffurious

  2. Excelente texto!!!! Gundam é uma série de animê que me desperta interesse faz tempo, e por ler várias pessoas dizendo que só um ou outro presta, e que é muito clichê, sempre acabava ficando com receio de começar a assistir. Adoro o visual “anos 80” do caracter design dos personagens e dos robôs(o nome é Gumpla, né? kk). Adoro ficção científica e uma boa história de guerra recheada de politicagem. Estou baixando a primeira trilogia e espero que Gundam me agrade ^^ e não, menos importante parabéns pelo post!

    • Obrigado. Fiz o guia justamente com o intuito de ajudar a galera que fica interessada na franquia mas fica confusa e não sabe por onde começar, já que raramente tem explicação esclarecedora na internet organizando tudo (às vezes alguns guias até assustam mais ainda o pessoal). Tem tanta coisa pra todos os gostos na franquia, espero que goste e que o guia seja bem útil. Tenha uma boa jornada, jovem!

      E also, Gunpla são os robozinhos de plástico que o pessoal compra pra montar. Os do anime são chamados de “Mobile Suits” ou varia de acordo com o tipo de máquina e tal.

  3. Excelente materia! Gostei muito, e provavelmente usarei para quando algum amigo vier perguntar como assistir. (preguiça de explicar tudo isso)
    Um adendo, sobre o War in Pocket, é sempre dito que ele se passa em 0080, mas na real ele começa em 0079, em dezembro e os eventos dele são simultaneos com as batalhas finais de do Gundam original, só que ele acaba terminando em janeiro de 0080 (que é quando os tratados são assinados e a Guerra de Um Ano termina de vez). É mais para curiosidade mesmo.

  4. Eu só assisti, Wing completo, Seed completo e 00 completo…e que por sinal são as piores séries que você destacou, mas os gráficos são os melhores feitos até o momento, apesar de concordar que todas estas séries tem histórias bem bipolares entre os participantes das series, e isso irrita pra caramba, hehehe!
    Então, para eu entender se realmente estas histórias fazem por onde terem o nome Gundam, posso assistir na ordem que você descreveu todos os universos e séries feitas até hoje?
    Muito bem elaborados seus textos, de fácil percepção com relação ao que quer passar para o público que vai ler!

    • Quanto a ordens, o Universal Century recomendo assistir na ordem que botei ali, pelo menos a saga principal. O resto você pode ver na ordem que quiser, basta só ter em mente a cronologia e o ano em que se passa cada história. Os outros universos você pode assistir em literalmente qualquer ordem que desejar. Como você já viu Wing, Seed e 00, dos AUs só restaria o X e o AGE (e Build Fighters, apesar de ele ser uma coisa completamente diferente disso), mas a minha dica é dar mais atenção para o Universal Century mesmo, que o mais puro suco de essência da franquia tá nele e é a parte mais importante.

  5. Olá, amigo eu gostaria de começar a assistir o Gundam 0079 será que você poderia me recomendar um site para que eu possa baixar os filmes ao invés de assistir o anime todo primeiro com legendas pt-br?

    • Eu não posso linkar aqui mas até onde eu sei, não há os filmes legendados em português, só a série. Mas se quiser os filmes legendados em inglês, estão disponíveis no Bakabt.

  6. Hahahaha Tu falou mal logo do que eu gosto (Wing), mas longe de mim ficar com raiva, estou mais interessado em conhecer todos os outros, acabei chegando aqui procurando como ver da forma certa a cronologia UC, mas a lista aumentou depois de ver seu guia, XD. Se alguém puder me ajudar eu como encontrar, agradeço. Um grande abraço !!

    • Olha, a ordem que eu particularmente recomendo pra ver o Universal Century é ver primeiro o que marquei como “Saga principal” no guia (A série Original, Zeta, ZZ, o filme Char’s Counterattack e Gundam Unicorn) e o resto você pode literalmente ver na ordem que quiser, porque é tudo muito isolado uma coisa da outra.

      Em lugares pra encontrar, aí já vai depender do idioma em que você quer. Em português eu sei que há uma quantidade considerável de séries da franquia legendadas (acho que boa parte das mais importantes podem ser achadas em português), mas não sei onde tem, porém, TODAS podem ser encontradas legendadas em inglês bem facilmente por aí através de sites de torrent como Bakabt ou Nyaatorrents (que costumam ser os lugares onde vou baixar anime, na real).

  7. E ai blza.. seu Blog é top… gostaria de saber… o que acontece com o Amuro depois de Char’s… eu nao lembro de ter sido explicado no Gundam Unicorn.

    • opa, obrigado.

      [ALERTA DE SPOILER PRA QUEM TIVER LENDO ISSO]

      Quanto ao que rolou com o Amuro após Char’s Counterattack, em Gundam Unicorn, lá pro episódio 5 ou 6 (ACHO que é em um desses, não tenho certeza, mas certamente é depois da metade de Unicorn ou próximo dos momentos finais), há uma cena em que o Bright olha pra um retrato do Amuro pendurado na parede e meio que comenta que ele não está mais entre nós. No próprio filme CCA, tanto o Amuro quanto o Char são declarados como “perdidos em ação” (uma maneira pomposa de dizer “mortos”, porque né… os caras foram basicamente pulverizados ali enquanto todo mundo tentava segurar a Axis e teve toda a quela coisa da Psycoframe e tudo mais) que foi na cena lá do Axis Shock no final do filme. Espero ter esclarecido a dúvida.

    • De nada, companheiro. Ainda não assisti Thunderbolt, mas assim que o fizer, pretendo atualizar o guia com mais informações a respeito dele e muito possivelmente meus dois centavos de opinião sobre o mesmo. Fico feliz que o guia tenha sido útil!

  8. O fandom de Gundam me lembra um pouco o de Kamen Rider quando se trata de opiniões sobre as séries, com umas bem divididas, o clássico “ame ou odeie”. Fiquei muito tempo em dúvida sobre o que assistir ou por onde começar por causa disso, mas o seu post explicou bem sobre cada série!

    Eu e um amigo estamos assistindo juntos e terminamos a trilogia do primeiro Gundam recentemente. Por diversos motivos, foi uma experiência muito boa e no final ficamos no hype pelo Zeta Gundam, hehe.

  9. Esse ainda é o melhor guia Gundam de toda internet. Parabéns.
    Fica a dica de atualizar com as duas novas séries: Tekketsu no Orphans e Unicorn RE:0096.

    • Muito obrigado!
      Eu ainda irei atualizar o guia com informações de Iron Blooded Orphans, Thunderbolt e The Origin quando estes acabarem. Unicorn RE:0096 não vejo tanta necessidade de mostrar no guia, mas vale a pena mencionar rapidinho (deixo pra fazer isso quando acabar). A versão dos OVAs de 1 hora ainda é melhor, na minha opinião.

  10. Eu só fui ler isso agora, quando já estou na metade do SEED, que está sendo minha porta de entrada na franquia. É bem razoável. Tem seus absurdos, mas os momentos bons compensam.
    Eu cheguei a começar o Unicorn, mas não estava entendendo muita coisa e larguei. Agora sei que preciso assistir mais coisa antes dele! haha

  11. Eu agradeço pelo seu guia,eu sempre quis ver Gundam mas apesar que discordar é normal,acredito que vc exagerou com Seed e Seed Destiny,assisti,foram maravilhosos e ambos fazem vc ficar em duvida por quem torcer,eu espero que ninguem fique desencorajado em assistir Seed e Seed Destiny

    Só nao assisti os ovas,nao tem onde assistir no android,vida de sem pc é triste

    • BOM…………. Eu só dei a minha opinião a respeito. Mesmo que eu acabe não gostando de algo eu nunca desencorajo ninguém a consumir a coisa. Eu particularmente acho Seed razoável e Seed Destiny trágico (com seus momentos) e bem…. falei bem pior de Gundam Wing ahahaha. Mas foi o que eu disse no começo do guia, fica a critério de quem ler, só dei meu parecer a respeito das séries 😛

      E de nada, fico feliz pelo guia ter ajudado.

      • Eu conheci Gundam pelo game da Koei de ps2,joguei um pouco,atualmente tenho o Gundam Reborn pra PS3

        Finalizei Seed e Seed Destiny e estou assistindo o 00,estou bem no inicio com Gundam e ainda nao tenho ideia como se organiza os fans brasileiros,mas se vc fizer parte de um grupo admiradores de Gundam vcs tem grupo no facebook ?
        Eu suponho que os fans mais dedicados tenham os episodios legendados,vcs já pensaram em fazer um aplicativo para dispositivos moveis reunindo os episodios de Gundam?
        Tipo Giganima,etc…. Gundam em sites de anime estao mais espalhados que as esferas do dragao e agora com o novo anitube muita coisa se perdeu.

        Novamente muito obrigado pelo guia e recomendo a empresa Koei caso goste de games,acredito que vc deva conhecer o jogo Gundam Reborn,mas a Koei é tao desvalorizada no ocidente,que nao duvido que fans de Gundam nao conhecam esse jogo.

        • Pior que não conheço nenhum grupo de Gundam no Facebook. Já vi umas páginas de gente que constrói os Gunplas, mas é mais focado em Gunpla buildling mesmo. Meu contato com a comunidade de Gundam na internet é mais discutir com amigos que também gostam e vez ou outra passar pelo /m/ do 4chan (que sinceramente não sei porque ainda insisto em entrar, mas vez ou outra dá pra tirar algo legal de lá, mas isso não vem ao caso).

          Isso dos episódios legendados não é tão complicado. Pelo menos em inglês dá pra achar a esmagadora maioria das coisas da franquia sem muita dificuldade (sempre tem os Kissanime da vida pra quem quer ver online ou o Nyaa e o Bakabt praqueles torrents espertos), agora em português eu já não sei informar porque já fazem muitos anos que não assisto anime legendado em português (se alguém lendo isso e souber por favor, sinta-se livre pra comentar mas evite links diretos de donwload aqui).

          E sobre a Koei, eu gosto muito dos jogos deles. Me amarro nessa pegada Dynasty Warriors que eles têm e eu já conhecia esse Gundam Reborn. Inclusive gostaria muito de jogá-lo mas estou esperando uma promoção na PSN pra pegar o jogo porque ando meio duro atualmente hahahaha. Em contrapartida, atualmente estou jogando Gundam Breaker, também pro PS3, que é ótimo!

          • Que bacana vc conhecer a Koei,eu tenho um grupo de facebook dedicado a esses games,o nome é Musou Warriors Brasil,ta meio Parado pq nao ta rolando novidade mas caso queira entrar vai ser bem vindo.

            Eu dei uma olhada na psn brasileira nesses dias pra poder comprar o resto do jogo(pq essas empresas atualmente sao tudo #@*$) e o pacote com as dlcs tava 60 reais,comprei e reparei que o Reborn ta um pouquinho mais que 80 reais,eles diminuiram quase metade do valor anterior

            To com vontade de jogar o Gundam Breaker 3 pra ps4 mas a grana ta curta e tenho uns jogos pra comprar nesse ano (espero que a Koei nao tenha nenhum jogo que eu queira esse ano pq ta dificil kkkk)

            Esses action figures de Gundam sao muito bonitos,da vontade de ter,mas só tem desses com dezenas de peças ? Da até medo de ter um desses.

  12. Amigo, uma dica, tres pedido e um agradecimento:
    A dica seria que quando vc atualizar com os novos gundams deixe marcado de vermelho uma frasezinha encima mostrando que aquele conteudo foi adicionando, isso pra que nós que ja lemos o post sabermos o que foi adicionado e nao nos perdemos se quisermos ler novamente. Se ja planejava fazer isso desconsidere o que falei.
    Quanto ao primeiro pedido, queria que se possivel no fim do post vc listasse todos os gundams em ordem de lançamento, isto me ajudaria bastante.
    O segundo pedido seria sobre o Brain Powerd, fiquei bastante curioso a respeito do mesmo, Evangelion é soberbamente incrivel e, por mais que vc tenha dito que brain powerd é ruim, eu fiquei curioso pra saber mais a respeito, se possivel poderia me passar sua opinião? Pode mandar spoiler, desde que não muito pesados, e comparar com evangelion e tal. Estou realmente querendo saber mais a respeito.
    O terceiro pedido seria sobre o Blue Blazes, nunca assisti, mas eles realmente retratam esses figurões da animação como Anno e companhia? Me pareceu bastante divertido.
    Quanto ao agradecimento, logicamente agradeço imensamente pela sua vontade de ajudar e acredite ajudou bastante.
    Abraços amigo!

    • Essa dica eu já pretendo fazer, só tenho que separar um dia pra isso, mas com certeza ainda faço. Sempre bom lembrar disso.
      E quanto a listar a ordem de lançamento, acho que talvez não se faz muito necessário, visto que já coloquei os anos de lançamento de cada série em cada categoria e tentei organizar a ordem dos universos alternativos pela ordem de lançamento, mas é uma ideia a ser cogitada.

      Agora quanto a Brain Powered, eu nunca cheguei a assistir na íntegra pra poder dizer a respeito (por enquanto, o único anime do Tomino que não é Gundam que assisti foi Ideon, que também tem um texto aqui no blog), mas gente que conheço diz que é bem mediano e é a típica escrita do Yoshiyuki Tomino só que de um jeito que ele parece estar se forçando a fazer algo, sem parecer por vontade própria. Um dia ainda pretendo assistir pra ver o que eu mesmo acho. Ele foi feito numa época que o Tomino andava bem frustrado com tudo, e pelo histórico do diretor, sabemos que quando ele passa por uma dessas isso afeta diretamente seus trabalhos (por mais que ele tenha feito Victory Gundam nessas condições também e é uma das minhas séries favoritas da franquia).

      E quanto ao Blue Blazes/Aoi Honoo (eu demorei uns segundos até associar o que era por só lembrar do nome japonês haha) e bom… eu não assisti, mas até onde eu sei é adaptação de um mangá do Kazuhiko Shimamoto (autor que por sinal, gosto bastante) e retrata mais ou menos por aí mas numa pegada mais focada em comédia até onde sei. A história se passa no começo dos anos 80 com os personagens numa universidade de arte ou alguma coisa assim. Um dia eu com certeza assisto, mas sei que tem uma cena onde o Hideaki Anno, de Evangelion (não é o próprio, obviamente, mas sim um ator o interpretando) faz uma participação e aparentemente é um personagem recorrente da história. Só não sei dizer em detalhes porque não assisti.

  13. Parabéns pelo texto, achei excepcional, eu poderia misturar ele a um roteiro que estou fazendo para um vídeo? O assunto é exatamente um guia sobre Gundam. Claro, pretendo dar os devidos créditos ao blog e o texto.

    • Frozen Teardrop na verdade é uma série de livros que se passa algumas décadas depois do final de Gundam Wing – Endless Waltz e que possui 10 volumes, que foram publicados entre 2010 até o final do ano passado. Eu não cheguei a ler por não ter disponível em nenhum idioma que não seja o Japonês mas já ouvi dizer que teve uma recepção bem dividida entre o público. Fizeram porém uma “animação” (na verdade é um monte de imagens estáticas com narração) bem curtinha até, mas nada que realmente faça valer a pena ir atrás, na minha opinião.

  14. onde eu posso assistir o victory gundam???
    eu ja assisti um monte de saga e jurando que ja tinha visto tudo, agora vendo esse post, vi que não assisti nem metade

    • Tem completo legendado em inglês pra baixar por torrent no Bakabt, mas acredito que também possa ser encontrado facilmente pra assistir online em algum Kissanime da vida.

  15. Ótimo guia!! Ajudou pra caramba. Só fiquei ainda com uma dúvida sobre Gundam Unicorn. Já vi em outros lugares que ele pode ser assistido sem ter visto as sagas anteriores pq ele faz uma espécie de recapitulação dos eventos principais. Você falou que ele funciona como uma homenagem às outras séries do Universal Century, mas não entendi o que isso significa. Se eu quiser assistir ele, mas não quiser ver as sagas anteriores (e nem é por serem animes antigos, eu não tenho muito problema com isso, mas é pelo número de episódios) eu conseguiria entender?? Eu até cogito assistir os filmes-resumo do 0079, mas o Z e ZZ não tem filmes, eu acho. Só vendo esses filmes antes, ou nem vendo nada, eu ficaria perdido?
    Já aproveitando, sei que não é pouca coisa, mas gostaria de sugerir que você fizesse uma matéria em que resumisse a história do Universal Century, assim eu e outras pessoas poderíamos pular direto pra série que nos interessa sem ter de investir um tempão nas outras. 😀

    • Sobre Unicorn: tem gente que diz que ele realmente pode ser visto sem os anteriores, mas eu discordo fortemente disso. Ele até tem uma história fechada em si, mas que pega muitos elementos dos anteriores e fecha pontas soltas. Assistí-lo sem os anteriores pode ser um pouco confuso ou “sem gosto”, porque o maior gostinho dele é esse sentimento de “conclusão com chave de ouro” que ele traz para a mega-saga que se iniciou na série original (eu costumo dizer que Gundam Unicorn é uma espécie de “Toy Story 3” ou “Metal Gear Solid 4” pra franquia, por causa disso). O que eu quis dizer com homenagem é justamente por isso que acabei de dizer. Você pode até tentar assistir Unicorn sem o resto, mas vai parecer algo bem sem substância e eu não recomendo ver dessa forma.

      0079 tem ótimos filmes-resumo que são até mais coesos que a série de TV. Zeta até tem uma trilogia de filmes mas ela é bem fraquinha e muda o final da série, assim, não sendo canon. ZZ… Bem… é ZZ. Mas olha, até que é um punhado de coisa, mas vale a pena assistir tudo, de verdade.

      Olha, um resumo da história do Universal Century é algo que eu talvez não pretendo fazer, mas caso queira, na página da Wikia de Gundam tem uma cronologia completa dos eventos do Universal Century ano a ano (incluindo coisas bem pequenas ditas em séries não muito relevantes) e se quiser ler pra pegar o que rola em Unicorn, só parar no ano UC96 http://gundam.wikia.com/wiki/Universal_Century

      • Obrigado pela atenção! Eu tinha pensado nessa possibilidade para o Gundam Unicorn que seria essa falta de substância por não ter visto as sagas anteriores. Se é pra ver ele e achar simplesmente “ok”, então prefiro nem ver. Quero absorver tudo o que ele tiver a oferecer, pois parece ser um verdadeiro masterpiece, então vou me dar ao trabalho de ver as sagas antigas. Verei os filmes resumo do 0079 e para o Z e ZZ, vou ver a série mesmo. Mas acho que vai demorar um pouquinho xD
        Aproveitando, gostaria de saber sua opinião sobre o Iron Blooded Orphans. É a minha primeira série de Gundam e estou gostando muito.

        • De nada!

          Agora sobre Iron Blooded Orphans, eu assisti uns 15 episódios e tenho que voltar a ver quando tiver um tempo livre e, apesar de preferir dar meus 2 centavos sobre ele após sair o final, até agora devo dizer que gostei do que vi. É extremamente básico meio “feijão com arroz”, porém funcional, ao contrário da maioria dos universos alternativos de Gundam. Quando ele terminar eu vou colocá-lo no guia com meu parecer ou talvez faça um texto separado pra isso em mais detalhes.

    • Não, pois não é um remake, e sim prequel. Eu recomendo assistir só se já tiver visto o original antes.

      E sobre a disponibilidade em português, eu realmente não sei dizer (faz anos que não vejo anime legendado em português. Tô completamente por fora do que os fansubs nacionais andam aprontando), mas acredito que uma parte considerável dessas séries tenha legenda em português. Talvez só as mais obscuras que não.

  16. Cara muito obrigado pelo seu guia sem ele não saberia por onde começar, percebi que o Gundam tem muita ramificação e assisti-lós todos e bastante cansativo ou ate impossível, ficarei apenas com o arco da primeira historia, Universal Century: Saga principal, foi a historia principal apresentada ao publico, o resto são outros arcos mais com suas importância, poderia acrescentar a Kidou Senshi Gundam: Tekketsu no Orphans e se assistiu poderia dar uma noção após a saga principal vou assistir.

  17. Poxa, comecei com Seed e n troco ele por nd… Ainda n tive coragem de ver o Destiny depois do q li sobre ele net afora, mas a curiosidade está quase me vencendo, kkk. Engraçado que o que eu gosto nele são justamente os personagens e o character design o.o. Além dele só vi o primeiro (0079) e estou finalizando o 8TH MS Team. Verei o Zeta em seguida, só estou criando coragem pra começar.

  18. Hey, obrigado por esse ótimo ” artigo ” o qual você deve ter se dedicado bastante para fazer. Obrigado mesmo! Sou do tipo que fica deprimido depois de terminar de assistir aquele anime o que a gente acaba gostando =[ Estava procurando a continuação de Seed Desteny ( resposta que encontrei aqui) porque aquele final com toda certeza deveria ter dito uma continuação direta, fosse um filme ou OVA. Mas infelizmente não teve =[ Deixo aqui uma recomendação de um ótimo anime, que para falar a verdade enquanto assistia o Seed eu percebi que esse anime deve ter se inspirado, ou, copiado. Enfim… essa é uma resposta a qual somente quem criou a obra tem. Soukyuu no Fafner. Considero Soukyuu no Fafner um de meus animes preferidos que sempre estará em meu coração. Porém, eu o acho melhor do que Seed e Seed Desteny. A animação dele não é ruim, mas a partir da segunda temporada a qualidade da arte dá um salto gigantesco, pois quando a primeira temporada acabou teve um hiato de muitos anos para sair as outras temporadas. Bem, tá aí a dica… quem gostou de Seed e Seed Desteny talvez gosta também de Soukyuu no Fafner.

    • Você me lembrou de um detalhe importante que esqueci de mencionar no guia. Existe uma “continuação” sim de Seed Destiny, que é “Gundam Seed Destiny Final Plus: The Chosen Future”, que é basicamente um OVA que é uma versão extendida/refeita do episódio final do anime, com cenas extras e algumas coisas alteradas com 47 minutos de duração.

      Esse final foi incorporado à versão remasterizada que saiu em 2010 ou 2011 (que foi a versão que assisti antes de fazer o guia. Tanto de Seed quanto de Seed Destiny) como uma espécie de versão “Director’s Cut” dos episódios finais de Seed Destiny. É um final bem mais satisfatório que o padrão que foi pra série de TV.

      E sobre Soukyuu no Fafner, eu não o conhecia mas vou dar uma olhada qualquer dia desses. Obrigado pela indicação!

      • Queria eu ter assistido o Final Plus antes do episódio 50. Os sites de streaming e de download deveriam remover o epi 50 e deixar no lugar o Final Plus, seria uma utilidade pública. O dia que você decidir assistir Soukyuu no Fafner e caso você goste e assista até o fim, volte aqui e me diga o que você achou, por favor. hehe…

  19. Olá, ja assisti os episódios do UC79, mas estou em duvida no que fazer com o Z, gostaria de saber se posso assistir os 3 filmes do zeta(new translation) no lugar da serie original, ou é realmente muito importante que se assista os 50 epi.?

    • Assista a série mesmo. Os filmes fazem algumas alterações na história que melecam o canon do Universal Century. É história demais pra ser comprensada em 3 filmes, infelizmente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s