It’s Dangerous to go Alone, Read This! #2: Zelda II- Adventure of Link

takethis

“Ovelha Negra”. Acho que todo mundo já ouviu isso alguma vez na vida, um termo que julga algo tendo como referencial coisas que estão no seu mesmo contexto. Desde um membro de uma familia até um pão diferente de uma padaria, o termo é muito usado no cotidiano de uma forma pejorativa.

Mas agora eu irei contar uma coisa para você, caro leitor: Não é porque algo é uma “Ovelha Negra” que necessiariamente ele é ruim. Ele só sai das expectativas que temos com algo que vive em seu mesmo parametro.

E Zelda II é uma ovelha negra sim, mas tem seus méritos.
Continuar lendo

BOYHOOD: C’EST LA VIE

boyhood-movie-poster-203x300

4 anos atrás, quando eu estava no primeiro ano do ensino médio, eu tinha uma matéria chamada “História da Arte”. Ignorando os por menores que ainda ficam dançando em meus pensamentos sobre minha relação com o professor, a frase que ele falou na primeira aula que  ministrou para minha classe ficou gravada a ferro em fogo na minha vida:

 

Arte é a capacidade de fazer você sentir com simples atos”

Continuar lendo

It’s Dangerous to Go Alone, Read This! #01 – The Legend of Zelda (NES)

takethis

The Legend of Zelda é uma das séries mais conhecidas na história dos videogames e, sem dúvidas, um pilar de importância para o desenvolvimento dessa indústria. Neste fevereiro de 2015, estamos no processo de “hype” para um novo título da franquia, no caso, para o Wii U. Tendo isso em mente, tomei a decisão de jogar todos os Zeldas em ordem de lançamento para erhn, digamos, consolidar mais ainda a empolgação.

JUNTANDO ISSO AO FATO de eu produzir pouquissímo conteúdo para este site, percebi uma oportunidade de produzir textos com certa frequência e de trabalhar minha análise critica. Então, sem mais delongas, bem vindos ao primeiro texto da série especial “It’s Dangerous to Go Alone, Read This!”, abordando o primeiro lançamento da série.

Continuar lendo

A ficção de Zoe Quinn

Era um dia qualquer. Pessoas e mais pessoas andavam pelas cidades deste mundo. Entre os 7 bilhões de pessoas que existem no planeta, provável que pelo menos 20% delas naquele dia qualquer estivessem remoendo uma traição. Alguns optam por difamar a pessoa que os traiu. Postam fotos da pessoa pelada, revelam os podres da mesma… Outros expressam decepção e a revelam para o mundo contando uma versão da história para o mundo. Traição e o backlash consequente são coisas que, infelizmente, acontecem com certa frequência nas relações sociais dos seres humanos.
 
Mas, aparentemente, desenvolvedor de jogo não pode ser considerado um ser humano. Hoje vamos falar sobre o caso Zoe Quinn. Continuar lendo