Relic Hunters Zero

header

É tipo um Gauntlet moderno ou um Left 4 Dead 2D, você que decide.

Em meio à tantos jogos complexos, cheios de coisa pra fazer, histórias e mensagens mirabolantes, às vezes precisamos de algumas coisas mais simples, só pra dar uma descontraída (não que nos outros jogos a gente não se divirta, mas acho que deu pra pegar a ideia), joguinhos mais simples e diretos ao ponto onde você basicamente só precisa sentar e jogar. Se falhar, tentar de novo se quiser, e assim sucessivamente. Diria que Relic Hunters Zero cai como uma luva nessa categoria.

RLZ, pelo pessoal da Rogue Snail e da Zueira Digital, composta por alguns integrantes da equipe que fez o memorável Chroma Squad (cujo review que fizemos no blog você pode ler aqui) e bom, do que ele se trata? Basicamente, é um jogo de ação rápida em visão isométrica com uma jogabilidade que lembra….. sei lá, um Left 4 Dead (foi o primeiro jogo que consegui pensar) em 2D, porém com mais foco em estratégia?

zuera

Acho bem importante mencionar que existe uma tradução “Português Brasileiro da Zuera” nas opções que deixa o jogo assim, abraçando aquele espírito da galhofa que tanto amamos.

Ele me lembra mais alguns jogos que não consigo puxar na memória agora, mas sendo curto e grosso, ele é basicamente isso que acabei de descrever, e a gente adora isso. O jogo tem uma estrutura que, de certa forma, lembra elementos de jogos Roguelike, como você poder começar o jogo novamente, porém tendo acesso a power-ups que você pegou nas playtroughs anteriores e que podem facilitar a sua vida na próxima e uma morte que faz você  perder todo o seu progresso ali, apesar de mesmo com isso, o jogo ainda ser bem acessível pra todos os tipos de públicos, pois há checkpoints compráveis no meio dele, e nas próximas playtroughts, você não precisa começar o jogo todo do zero se não quiser.

E mesmo assim, é um jogo bem variado e há N formas diferentes de jogá-lo. Às vezes itens e inimigos aparecem em locais diferentes do mapa, fazendo você ter de repensar suas estratégias e não contar simplesmente com memória muscular ou algo do gênero. Além disso, há 6 personagens jogáveis, cada um com habilidades e atributos diferentes que te dão novas maneiras de jogar, isso sem falar no grande mote do jogo, que são as relíquias que você precisa juntar ao longo da aventura, sendo que cada uma dá algum bônus diferente para o seu personagem e você pode equipar até 3 delas combinadas ao mesmo tempo, dentre as 8 disponíveis, assim, possibilitando uma infinidade de estratégias diferentes durante as partidas.  Para adicionar mais variedade ainda, o código do jogo é aberto (open source) e qualquer um pode fazer modificações nele para alterar a forma de elementos do jogo como achar melhor, o que nas mãos de uma comunidade bem ativa, pode ser algo bem legal que traga uma extensão grande à longevidade do jogo, veremos o que farão com isso ao longo do tempo, pois vejo potencial (se eu tiver falado bobajada nessa última parte, peço perdão e sintam-se livres para me corrigir nos comentários, pois não entendo bulhufas de códigos, programação e essas coisas…. mas acho uma informação interessante a ressaltar)

screen1

Em termos de dificuldade, dá pra dizer que é um jogo que exige bastante atenção, pois há certas ocasiões que um tiro com a arma errada pode te deixar vulnerável a ataques inimigos que irão te causar um bom dano. Coisas como se esconder enquanto recarrega a munição, desviar de tiros, bombas e pegar os inimigos de surpresa, e combinar estratégias são cruciais pro progresso no mesmo, que vai ficando cada vez mais difícil ao longo das 13 fases. É um desafio que traz recompensas interessantes se for vencido e bem divertido de jogar.

Há a possibilidade de jogar com um amigo num co-op até 2 jogadores, não tive a oportunidade de testar esse modo, mas aparenta ser bem funcional e possui friendly-fire, o que quer dizer que não dá pra simplesmente você e um amigo saírem simplesmente metendo bala em tudo por aí sem pensar numa estratégia. Só senti bastante falta de um multiplayer online (rapaz, mas um jogo desses com uns 4 jogadores online seria uma bagunça divertida pra cacete, hein?), mas quem sabe isso não seja implementado em atualizações futuras, seja pelos próprios desenvolvedores, ou pela comunidade, visto que o código do jogo é aberto a modificações para todos? Se eu tenho alguma crítica a fazer, é mais à ausência de um modo online, que me faz um pouco de falta num jogo como esse, pois é o tipo de coisa que eu adoraria jogar com amigos (ou até um local pra 4 jogadores), e à mecânica de esquiva e à dos ataques corpo-a-corpo, que podiam ser um pouco melhor polidas, mas não é algo que atrapalhe muito. Vejo um potencial muito grande nesse jogo para que ele cresça ainda mais, pois já começou muito bem.

Ah, e o melhor: já mencionei que Relic Hunters Zero é 100% GRÁTIS no Steam? Acho que dá pra dizer que deve ser um dos jogos free mais legais que estão no Steam atualmente e recomendo que dêem uma olhada, pois valerá a pena e se viciar, será interessante ver esse jogo mudar e evoluir se ele cair no gosto do publico geral.

Anúncios

Um comentário sobre “Relic Hunters Zero

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s