A Girl By the Sea – discussão (Podcast)

Header

“Garota à beira do Mar” daria um bom nome de novela das 7 da Globo

Saudações, senhoras e senhores, e sejam bem-vindos a mais uma edição do nosso humilde podcast ainda sem nome definido daqui do nosso querido blog. Neste programa, @Nintakun (eu), Guga (@Striead) e Gabriel Yushuu (@Yushuu) se reúnem num papo bem-humorado regado a improvisos para debater sobre um mangá de um dos quadrinistas mais respeitados da atualidade, Inio Asano, e estamos aqui pra falar hoje de A Girl By the Sea (“Umibe no Onna no ko“, no original).

Estariam os jovens de hoje cada vez mais superficiais em seus relacionamentos? É pra deixar sair o que tiver de sair? Otakus são perigosos como parecem? A Kelly Key dá razão pro nosso amigo Guga em seus argumentos? Sexo pode ser usado como elemento importante pra agregar valor narrativo na ficção ou não? Descubram as respostas para todas essas perguntas durante o programa.

E, aviso importante, aproximadamente 90% do conteúdo desse podcast está CHEIO DE SPOILERS, então, não é recomendado caso você não tenha lido o mangá ainda. Se ainda não leu, vá lá resolver isso que só tem 2 voluminhos e você não provavelmente não deverá gastar nem 2 horas pra ler tudo e venha participar da discussão com a gente!

 
[Vai ter um link pra ouvir direto no post, mas ainda estamos vendo onde upar isso então por enquanto não tem nada aqui, foi mal]

Duração: 75 minutos
Edição: Nintakun
Arte de capa: Igor
Link para Download no Mediafire (só clicar aí)

Guia do Podcast:
– (00:00) Abertura
– (00:29) Apresentação e introdução rápida à vida e obra de Inio Asano
– (06:20) Discussão sobre o mangá (COM SPOILERS)
– (59:32) Considerações finais
– (1:06:53) Encerramento ao som de “Kaze no Atsumete”, da banda Happy End, que é referenciada  no mangá.
– (1:10:56) Extra: erros de gravação

Links comentados no cast:
Podcast do Mangatologia (parte do atual Mangá ao Quadrado) sobre Inio Asano e suas obras (livre de spoilers)
Página linda pra cacete do mangá
Música “Kaze no Atsumete”
Notícia anunciando o lançamento do mangá oficialmente em inglês nos Estados Unidos
Tweet do Maurício de Sousa em resposta ao Guga (comentado nos extras)
Página do Yoshizaku, vulgo “personagem aleatório que só aparece em 2 quadros”, no Myanimelist (pra quê, véi?!)

Comentários, críticas e sugestões são bem-vindos pois o feedback de vocês é muito importante, já que estamos testado formatos de podcast pra poder fazer um programa melhor pra vocês e até a próxima.

Anúncios

4 comentários sobre “A Girl By the Sea – discussão (Podcast)

  1. Curti bastante o podcast. A forma que contaram a história, suas observações sobre cada situação, o motivo do nome do mangá, curti bastante. O único problema que vi no podcast foi a qualidade de audio de um dos integrantes, pois eu não entendia algumas vezes oque ele estava falando. Fora isso, podcast muito bom, parabains.

    • Ah, nisso ainda iremos melhorar hahahahhaha.
      Vamos arrumar um microfone melhor pros integrantes do blog pra gravar os próximos.

      Mas muito obrigado pelo feedback e ficamos felizes que tenha gostado. 🙂

  2. Depois de ler a matéria de vocês, senti vontade de ler o mangá. E foi o mais triste que li até hoje (ou seja, foi o melhor de todos até agora). Se não forem ler tudo o que escrevi, gostaria de dizer que tenho acompanhado o blog desde essa matéria E a única coisa ruim desse podcast foi (como disseram no comentário acima): a gravação de um dos integrantes ficou comprometida.

    Não sei se um all text é agradecimento pra vocês. Espero que sim pq essa foi uma das intenções.

    Tem SPOILER, se alguém for ler.

    Eu via como amizade a relação entre a Koume e o Isobe porque ninguém comentaria algo daquele tipo (o que ocorreu com o primeiro garoto que a desprezou, o Misaki) se não fosse com um amigo. Mas, concordo com vcs: não é amizade. Pra mim porque amigos não se usam e foi o que ela fez com ele.

    A primeira interpretação que tive sobre quem era “a garota à beira-mar” foi da Koume. Além de ela estar sempre à beira-mar nos quadrinhos do mangá; o mar costuma ser associado à ideia de sedução/perdição em outras obras. Se vc já foi à praia, sabe que ele atrai as coisas pra si. Em “Dom Casmurro”, os olhos da Capitu são “olhos de ressaca”, são olhos atraentes, sedutores. Acho que a Koume tem exatamente esse poder de sedução sobre todos os que ela quer. Inclusive, com o Isobe.
    Esse mar traz uma tristeza muito grande na obra tb… Acredito que essa tenha sido uma das intenções do autor.

    Muito legal quando vcs falaram que o autor, propositalmente, intercalou os quadros do mangá da Koume no banheiro com o outro cara e do Isobe no blog do irmão (quando ambos tentam se recuperar da necessidade física do outro). Eu não teria percebido isso sozinha.

    Caramba, legal que algum de vocês achou que a Koume foi quem mais se desenvolveu na história.
    Eu não vi assim. Acho que ela aprendeu algumas coisas (como o q ela falou pros pais “vcs são casados, vcs escolheram viver juntos e querem q outro mude?”). Mas, isso não mostra que ela teve uma evolução tão grande assim. Tanto que na parte em que a Koume já está no ensino médio com outro namorado… Esse novo namorado pergunta pra ela se ela o ama… E ela responde q sim no ônibus/metrô (e ela não o ama, é só ver a expressão do rosto dela e ela até para pra pensar nessa hora). Ela já tinha agido dessa mesma forma com o Isobe na despedida (ela disse pra ele q ela o amava e não era verdade… ela não o amava e nunca o amou. Ela só disse aquilo nos dois casos porque não queria ficar sozinha). Ou seja, ela continuou cometendo os mesmos erros.

    Se vocês falaram sério que o Isobe parecia com o Sasuke, eu não achei isso (se estavam só zuando, desprezem esse parágrafo). O Isobe é um personagem que precisa de cuidado (o Sasuke tb precisou), mas o Isobe não se revolta e quer ferrar com as pessoas porque se sentiu injustiçado (o Sasuke queria destruir konoha e não estava nem aí pros amigos dele). Diferente do Sasuke, que se vinga, o Isobe apenas tenta se vingar. O Isobe se sente injustiçado porque acha que pessoas parecidas com aquele grupo de delinquentes mataram o irmão dele… Ele podia dar um choque na água e ter inclusive se matado mas, mas a escolha dele foi diferente… E outra situação que prova isso: ele tb poderia ter dito ao amigo da Koume, o Hashima (aquele que a melhor amiga da Koume gostava), q eles se conheciam (durante a briga na escola que hospitalizou o Hashima porque caiu da escada), mas mesmo sendo socado por ele e colocado sob pressão, o Isobe não faz isso – ele permance fiel ao trato com a Koume.

    Na verdade, foi o Isobe quem realmente cresceu. Se no começo ele gostava da Koume e, pelo menos, em um primeiro momento, rejeitou o trato que ela propôs (e ele foi muito legal com ela nessa hora – ele cumpriu o papel de um amigo de verdade, sendo sincero e grosso na proporção q ela merecia… só uma pessoa q gosta de verdade de alguém falaria a verdade…); apesar de ceder ao trato dela (isso foi errado, ele deveria ter sido forte nessa hora – se gostasse dela de verdade, faria exatamente o oposto, resistiria por ela tb) — o que o Isobe deixa de fazer no começo (não ceder às vontades erradas dela), ele faz no fim: na despedida, qnd ela diz q o ama (mas, ambos sabem q ela não o ama), ele sabe q ela diz isso da boca pra fora, mas resiste por causa dela!!!! Ele não fica, pelo contrário — vai embora, mesmo sofrendo (porque ainda gosta dela!…. não é possível esquecer alguém do dia pra noite).

    Bom, é isso.
    Obrigada novamente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s