A ficção de Zoe Quinn

Era um dia qualquer. Pessoas e mais pessoas andavam pelas cidades deste mundo. Entre os 7 bilhões de pessoas que existem no planeta, provável que pelo menos 20% delas naquele dia qualquer estivessem remoendo uma traição. Alguns optam por difamar a pessoa que os traiu. Postam fotos da pessoa pelada, revelam os podres da mesma… Outros expressam decepção e a revelam para o mundo contando uma versão da história para o mundo. Traição e o backlash consequente são coisas que, infelizmente, acontecem com certa frequência nas relações sociais dos seres humanos.
 
Mas, aparentemente, desenvolvedor de jogo não pode ser considerado um ser humano. Hoje vamos falar sobre o caso Zoe Quinn.


“O Tio da Padaria tem um pão muito bom!”

Zoe Quinn desenvolve jogos. Desenvolveu um jogo chamado “Depression Quest“, alguns sites famosos o recomendaram. Pessoas que o jogaram sem nenhum compromisso jornalístico também. Eu não o testei ainda, mas tenho certeza que deve ser interessante. Talvez não tudo aquilo que falam mas ainda sim interessante. Na página do Steam, Quinn manipulou os reviews para que só os positivos pudessem ser vistos.

Zoe Quinn ao se tornar uma desenvolvedora de jogos está inserida no meio e vai viver boa parte de sua vida nele. É normal que o jogo, se considerado “interessante”, será citado em sites e sofrerá o efeito “boca a boca” entre aqueles que o experimentam. Principalmente se ela tiver contatos dentro da comunidade.

“O pão é muito bom, mas o Tio não parece ser uma pessoa muito legal!”

Existe um evento feito por desenvolvedores indie chamado “The Fine Young Capitalists’ Game Jam” que doa o dinheiro arrecadado durante o evento para caridade. A proposta do evento é que eles teriam mulheres DESENVOLVEDORAS OU NÃO dando ideias para jogos enquanto eles (os indies responsáveis pelo evento) iriam programar o jogo. Zoe Quinn tentou sabotar o TFYCGJ falando que era algo “opressor” e que “explorava as mulheres”. Zoe Quinn criou seu próprio evento, “Rebel Jam

O “Rebel Jam” falava que o dinheiro arrecadado também iria para a caridade… Com um pequeno “porém”: o dinheiro passaria pela conta do Pay-Pal de Zoe Quinn. Pensem o que quiserem.

Para mim, os eventos acima apresentados estabelecem que Zoe Quinn pode ter um caráter duvidoso. Mas isso, de alguma forma, afeta a indústria ao ponto dela quebrar? É algo para se ficar preocupado com o futuro dos videogames? Não.

“Mas cara, essa merda tá fedendo! Olha o que ela fez!” Te garanto que ela não foi a primeira e não será a última a fazer algo do tipo, caro leitor.

“Ih, parece que o Tio da Padaria traiu a mulher dele!”

Zoe Quinn namorava um rapaz. Um belo dia, ela disse para esse rapaz que “Trair é igual a estupro!”.

Tempos depois o namoro acabou. Ela seguiu a vida dela e ele tentou seguir a dele. Só que namoros podem terminar de muitas formas diferentes e parece que esse em especial aparentemente acabou por ela ter traído o rapaz.

O rapaz, muito chateado com a situação, decidiu tornar público os últimos meses do relacionamento. Descoberta da traição, como ela aparentemente era falsa e manipuladora… Coisas nojentas. Tanto da parte dele como da parte dela.

Isso estabelece que Zoe Quinn é uma pessoa ruim. Mas dentro disso, temos que considerar 2 coisas:

1)Se ela traiu alguém isso envolve a vida PESSOAL dela e de forma alguma diminui ou aumenta a qualidade do que ela produz.

2)Milhares de outros desenvolvedores já devem ter traído seus parceiros. A indústria continua aí firme e forte. Isso não é o fim do mundo

Conhecendo a situação e os ataques, o comentário que se segue ao o que eu apresentei acima é “Mas olha com QUEM ela traiu!” e isso nos leva ao clímax deste texto.

“O Tio da Padaria traiu a mulher dele com uma pessoa que pode divulgar a qualidade de seu pão!”

Zoe traiu o rapaz com um jornalista do Kotaku US. Esse mesmo jornalista escreveu sobre o jogo da moça. Falou BEM do jogo.

A partir desse ponto, a internet assumiu que Zoe Quinn é a maior filha da puta do mundo, um monstro frio e calculista que usou uma transa para ganhar benefícios. Se foi isso mesmo que ocorreu, não sabemos… Mas o problema é dela.

Zoe Quinn não é um problema para a indústria. Ela está, como dito anteriormente, imersa no meio dos jogos. É normal que ela se envolva com alguém que faz parte dele, e NÃO, ela não estava certa de trair. O ponto que eu quero chegar é que isso ocorre em qualquer lugar e não é por que aconteceu no mundo dos jogos que os videogames vão morrer.

Se era para alguém estar sofrendo esse alguém era o jornalista do Kotaku que, caso realmente tenha sido manipulado, mostrou uma falta de ética gritante.

“Olha o que o Tio da Padaria fez! Vamos quebrar ele na porrada!”

Você, de coração, acredita que é justo por tudo que a Zoe Quinn fez ela merecer ser ameaçada de morte e estupro? Se a resposta for sim, pegue um copo e quebre na sua cabeça por favor.

Zoe é uma pessoa péssima mas ela não vai destruir a indústria. Nós, jogadores que ficamos sabendo do caso Quinn, somos uma parcela ridiculamente pequena da venda total de jogos. O jogador “casual” não sabe e não quer saber do que ocorre por trás das cortinas dos jogos.

Ao mesmo tempo que os desenvolvedores SÃO HUMANOS e vão fazer muita merda na vida. Querer que eles não façam isso é admitir que você não reconhece eles como seres humanos.

Tem gente afirmando que não tem como confirmar se Quinn sofreu ameaças reais. Tem como confirmar que essas ameaças são falsas? Acho que não também. Nesse caso você deveria reconhecer que existem limites sim, e que por mais ruim que a pessoa seja, nunca uma ameaça de estupro será justificada.

Daqui 3 ou 4 meses tudo isso vai estar debaixo de um tapete. Os jogos continuarão iguais.

A conclusão que eu tenho é que Zoe Quinn não passa de um monstro criado pela imaginação da comunidade. No fim, ela só é um ser humano ruim, como tantos outros que existem no mundo. Como até mesmo você e eu podemos ser.

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “A ficção de Zoe Quinn

  1. Pingback: Depression Quest | Missão Ficção

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s